Se aqueça neste Inverno

13 de julho de 2018


SOPA DE ABÓBORA COM AGRIÃO
INGREDIENTES
 1 colher de sopa de óleo vegetal
 1 cebola média
 2 dentes de alho
 3 colheres de sopa de alho porró
 1 kg de abóbora descascada e picada
 4 xícara de chá de água fervente
 Sal a gosto
 1 colher de café de noz moscada
 1 colher de sopa de salsa picada
 1 colher de sopa de cebolinha picada
 ½ xícara de chá de folhas de agrião
MODO DE FAZER
Numa panela, aqueça o óleo e refogue a cebola, o alho e o alho porró. Acrescente a abóbora picada e refogue por dois minutos. Adicione a água e o sal. Cozinhe por 25 minutos. Espere esfriar um pouco e bata no liquidificador. Acrescente a noz moscada. Volte ao fogo por mais um minuto e polvilhe a salsa e a cebolinha. Desligue o fogo, coloque o agrião, abafe a panela e sirva a sopa morna.
Obs: Caso queiram melhorar ainda mais a qualidade nutricional acrescente uma fonte de proteína (ex: carne vermelha magra ou frango desfiado com açafrão ou ainda uma proteína vegetal como cogumelo shitake)
Rendimento: 4 porções
Calorias por porção: 117 kcal

Vitamina B12 e ACNE

9 de julho de 2018

A vitamina B12 pode ser encontrada em produtos de origem animal como laticínios, carne vermelha e frutos do mar. Vegetarianos e veganos são aconselhados a tomar suplementos ou comer alimentos ricos nesse nutriente. Além disso, muitas pessoas acima de 50 anos de idade perdem a habilidade de absorver essa vitamina de alimentos. Cirurgias de perda de peso também podem causar o mesmo problema, Uma deficiência de B12 pode causar sérios problemas à saúde. Pouca vitamina B12 tem sido implicada em anemia, problemas digestórios e neurológicos, como formigamento e torpor em extremidades, problemas de visão e perda de memória. Uma pesquisa recente sugere que altos níveis de vitamina B12 pode afetar a atividade bacteriana em certas pessoas, aumentando as chances delas desenvolverem acne. No entanto, os pesquisadores ainda dizem que é muito cedo para cortar o consume dessa vitamina tanto em alimentos como em suplementos somente para evitar acne. Existem certos genes que podem potencialmente influenciar se a pessoa terá acne ou não. Esses genes podem ser os alvos para um tratamento futuro.
Referência: https://wb.md/2lr5ogQ

Como Lidar com a Compulsão Alimentar

6 de julho de 2018

Comer em excesso de vez em quando é normal, assim como comer por razões emocionais. Pessoas que tem um consumo alimentar compulsivo podem utilizar o alimento como a única forma de acalmar as emoções negativas. Como resultado, elas normalmente acham que a sua alimentação está fora de controle. Pensam em comida o tempo todo e sentem-se culpadas, envergonhadas ou depressivas após comer. Algumas pessoas que comem demais têm uma desordem clínica chamada de compulsão alimentar (CA). Pessoas com CA comem quantidade excessivas de alimentos em um período curto de tempo e sentem culpa ou vergonha logo após. Elas fazem frequentemente: pelo menos uma vez por semana em um período de pelo menos três meses. Para muitas pessoas, comer compulsivamente é parte de um ciclo que começa com uma dieta restritiva. Um ciclo que é difícil de quebrar, particularmente se os gatilhos forem emocionais e estiverem bem enraizados; principalmente se forem decorrentes de uma imagem corporal negativa. Quando sentir vontade de comer, pause por um momento e se pergunte: estou com fome? Banir alimentos que podem causar uma compulsão mais tarde nem sempre é uma boa ideia. Se você realmente quer comer algo e está com muita vontade, mesmo se não estiver com fome, se dê a permissão para pelo menos uma quantidade pequena.

Benefícios da Avelã

4 de julho de 2018

A avelã é uma oleaginosa originária da América do Norte de casca bem sólida e consistência de madeira. Dentro do fruto está a semente que é a parte comestível. Ela é composta de vários nutrientes, entre eles uma porcentagem de Água, 17,4g de Proteínas, 62,6g de Gordura, 7,2g de carboidratos, vitaminas E, B, B1, B2 e B9, A e C; também se destacam os minerais como potássio, cálcio, magnésio, fósforo e manganês, e fornece 682 kcal a cada 100g. Seu alto teor de gorduras insaturadas permite que ela seja destinada, como substância oleaginosa, com propósitos de industrialização e de alimentação. Como a avelã traz em si igualmente a vitamina B9 ou ácido fólico, ela é prescrita para um melhor desempenho da memória, contra a pressão alta e nas anemias carenciais. Ela também é encontrada nas conhecidas barrinhas nutritivas. É capaz de aumentar o perfil nutricional de receitas saudáveis, como as saladas, proporcionando grandes benefícios para quem a consome. Também apresenta flavonoides em sua composição, que são capazes de melhorar a circulação e favorecer à saúde cerebral. A avelã é uma boa fonte de ácido oleico, que pode ajudar a reduzir os níveis de colesterol ruim, e pode elevar os níveis de colesterol bom, porém, seu alto teor em gorduras a convertem em uma opção bem calórica e, portanto deve ser ingerida com moderação.
Referência: http://www.infoescola.com/frutas/avela/

Autismo e Nutrição

2 de julho de 2018

O Autismo é caracterizado por uma variedade de desordens no desenvolvimento psicomotor que afeta a capacidade de comunicação, interação interpessoal e do estado comportamental do indivíduo. Atualmente, acredita-se que a maturidade intestinal tem grande importância no desenvolvimento cognitivo da criança. Dessa forma o comprometimento deste pode desencadear vários problemas como a maior probabilidade de toxicidades, podendo ser considerada uma das principais causas no aparecimento de doenças neurais. Dito isso, o sistema digestivo da criança autista, ao invés de ser uma fonte de alimento, torna-se uma importante fonte de toxicidade podendo apresentar algumas complicações como constipação, diarreia, gases, inchaço abdominal, entre outros. Essa relação está associada com ocorrências de respostas imunes exacerbadas a certas proteínas alimentares, podendo ser, por exemplo, a gliadina, proveniente do glúten, que podem levar a uma resposta inflamatória. Apesar de haver essa relação e uma variedade de sintomas presentes com a sensibilidade ao glúten, ainda não há comprovação suficiente no que diz respeito à retirada total do glúten da dieta no tratamento para o autismo, mesmo assim essa conduta é realizada. Sendo a remoção da caseína através da restrição do leite e derivados de realização mais simples e de resultados mais rápidos. A remoção do glúten no organismo acontece de forma mais lenta e gradual, podendo ser notadas mudanças em 3 a 4 dias de dieta restrita, mas a recomendação é remover o glúten pelo menos três meses para obter um melhor resultado. As deficiências nutricionais mais comuns em neuropatias são de ômega-3, vitaminas do complexo B, minerais e aminoácidos, que são essenciais na formação de neurotransmissores, responsáveis por trazer equilíbrio no sistema nervoso central e por isso muitas vezes a suplementação é recomendada.
Referência: LEAL, M. Et al. Terapia nutricional em crianças com transtorno do espectro autista.

Alimentação para uma vida Saudável

29 de junho de 2018

Alimentos antioxidantes ajudam a prevenir o aumento de radicais livres, moléculas instáveis de oxigênio que contribuem para o processo de envelhecimento. Os antioxidantes são encontrados em frutas e vegetais coloridos como as frutas vermelhas, tomate, beterraba, cenoura, abóbora e vegetais verdes escuros. Além disso, esses compostos ajudam a combater doenças crônicas como o câncer e doenças cardiovasculares. Para ter os benefícios desses alimentos consuma de 5-9 porções destes por dia. O azeite de oliva extra-virgem é rico em gorduras insaturadas que tem propriedades anti-inflamatórias e podem afetar positivamente a memória, além de reduzirem o colesterol ruim LDL e prevenir doenças cardíacas.
Frutas vermelhas como o morango, cereja, ameixa, mirtilo, framboesa e cranberry são ricos em polifenóis que ajudam a combater o câncer e doenças neurológicas degenerativas. Consumir peixes como o salmão e o atum pelo menos duas vezes por semana aumenta o consumo de ômega-3 que ajuda a diminuir o colesterol e é um excelente neuroprotetor diminuindo o risco de demência. Feijões e ervilhas são ricos em fibras ajudando a diminuir a pressão arterial, melhorando o colesterol, prevenindo a constipação e ajudando na perda de gordura. Além disso, por conterem carboidratos complexos ajudam a regular os níveis de glicose.
Vegetais verdes escuros são ricos em potássio e magnésio excelentes cardioprotetores. Batata doce e cenoura são ricos em vitamina A que ajuda na saúde ocular e protege contra infecções. Castanhas são ricas em gorduras insaturadas, vitamina E e selênio, compostos que ajudam na manutenção do perfil lipídico e na prevenção de doenças cardiovasculares. Alimentos fortificados com vitamina D como os laticínios promovem a manutenção da saúde óssea e podem ajudar a prevenir certos tipos de câncer. Grãos integrais melhoram a saúde intestinal e podem reduzir o risco de câncer, diabetes tipo 2 e doenças cardíacas. Referência: https://wb.md/2yvlVcX