Todo carboidrato engorda?

5 de junho de 2018

Estudos recentes mostram que uma dieta pobre em carboidratos e outra rica em carboidratos não diferem na quantidade de ganho de peso que você perde nos primeiros meses de dieta ou pelos dois anos seguintes. Os pesquisadores ainda afirmam que aqueles que consumiram 47-64 do total calórico de carboidratos tiveram o menor risco de tornarem-se obesos ou sobrepesos. Na verdade, qualquer caloria em excesso, seja de carboidratos, proteínas ou gorduras, pode leva ao ganho de peso. O importante é limitar o número de carboidratos de alto índice glicêmico e pobres em nutrientes como doces, pão branco, macarrão e batata e, optar por carboidratos complexos como os grãos integrais e legumes. Banir totalmente o carboidrato da dieta pode ser um mau negócio, pois pode levar a um aumento na vontade por beliscos sem controle.

Jejuar é saudável?

4 de junho de 2018

Jejuar algumas vezes está acompanhado de enemas para limpar o trato intestinal e podem ser perigosos provocando a perda de fluidos e nutrientes, além de alterar a microbiota intestinal essencial para o bom funcionamento do sistema imune. Algumas pessoas jejuam com a finalidade de detoxificar o corpo, mas não há nenhuma base científica a esse respeito já que o corpo pode fazer isso por si mesmo através do fígado, pulmões, cólon, rins e pele. Mas ele só faz isso de forma adequada através de uma dieta equilibrada.

O jejum intermitente pode ser uma boa alternativa para a perda de peso, mas não serve para todos e deve ser sempre acompanhado de um profissional de nutrição. E antes de atividades físicas de baixa intensidade pode ser um bom negócio para perda de peso.

Uma dieta inadequada, ou seja, rica em gorduras e carboidratos refinados e, pobre em fibras, proteínas magras, carboidratos integrais, vitamina e minerais pode provocar um acúmulo de substâncias tóxicas ao organismo e ocasionar doenças crônicas como diabetes, aterosclerose, neurológicas, entre outras. Referência: WebMD

Saiba como aumentar o consumo de água

30 de maio de 2018

Muitas pessoas não tomam água, pois afirmam que não tem gosto. Consumir sucos de preferência de baixa caloria como maracujá, frutas vermelhas e limão já ajudam a manter a hidratação em dia, porém é importante não acrescentar açúcar. Tente também adicionar alguns extras como frutas como maçã e morangos, e ervas como hortelã e manjericão. O café descafeinado pode ser outra opção.

Laticínios também podem ajudar e, além da água irão fornecer um maior aporte de cálcio. Opte sempre pelos desnatados e caso não goste de laticínios pode optar pelas bebidas a base de soja, amêndoa ou arroz. Tomar uma sopa (caldo) como aperitivo também é uma alternativa. Consuma também frutas e vegetais ricos em água como melancia, melão, alface, brócolis, entre outros. Fonte: WebMD

Aprenda a diferenciar gordura ruim da boa

28 de maio de 2018

Para mascarar o gosto da maioria dos alimentos processados com baixo teor de gordura, o conteúdo de açúcar foi aumentado. Começamos então a comer menos gordura e mais açúcar. O corpo usa a gordura como combustível e para construir as membranas celulares. O colesterol e o LDL são utilizados como blocos de construção para construção de hormônio esteroides como a testosterona, progesterona e estrógenos. Gorduras saudáveis, especialmente o ômega-3 DHA, ajuda o cérebro a trabalhar adequadamente. Além disso, ajudam como o humor, memória, concentração, fala e cognição. São importantes para regular o sistema imune e o metabolismo. Gorduras saudáveis ajuda a diminuir os níveis de triglicérides, aumentar o HDL e diminuir o risco de doença cardiovascular.

As boas fontes de gorduras saudáveis são os peixes gordurosos como o salmão e a sardinha, linhaça, cânhamo, sementes de chia, nozes, macadâmia, algas marinhas e ovos pasteurizados. As gorduras saturadas, apesar da má reputação, são necessárias em pequenas quantidades, pois são excelentes fontes de combustível para o cérebro e para o corpo. A manteiga orgânica e o óleo de coco não refinado são uma das melhores fontes vegetais. Existem gorduras que aumentam a resistência a insulina e a inflamação, incluindo a maioria das gorduras encontradas nos alimentos processados como a margarina.

O objetivo, portanto, é balancear a proporção de ômega-3 e ômega-6, sendo que atualmente o consumo de ômega-6 (pró-inflamatório) presente nos processados está maior. O consumo de gordura inflamatória contribui para o aparecimento de doenças crônicas incluindo a obesidade. Conclusão: fuja dos processados! Referência: health.usnews.com

O pão é responsável pelo ganho de peso?

25 de maio de 2018

Comer qualquer tipo de carboidratos aumenta a glicose sanguínea, mas nem todos os carboidratos são iguais. Os carboidratos simples aumentam a glicose sanguínea rapidamente, ao contrário dos complexos (integrais) encontrados nos cereais, frutas e legumes. Procure no rótulo e escolha o pão com maior teor de fibras. Com relação ao glúten, somente pessoas intolerantes o glúten ou celíacas não se beneficiarão dos nutrientes do pão integral.
Referência: https://wb.md/2InC4pp